Empoderamento Feminino: O que é?

Março: Mês da Mulher

Empoderamento feminino. Este foi o termo mais procurado no Brasil em 2016, segundo um estudo sobre tendências visuais divulgado pelo site Shutterstock.  Aposto que você ouviu  falar disso no trabalho, apareceu no seu feed de notícias do Facebook ou você viu em alguma mídia por aí. O Dia Internacional da Mulher está chegando, e este tema ainda estará muito presente. Mas afinal, o que é empoderamento feminino?

unnamed

Primeiramente, empoderamento feminino é diferente de feminismo. Feminismo é resumidamente um movimento que prega a ideologia da equidade social, política e  econômica entre os gêneros. Empoderamento feminino é a consciência coletiva, expressada por ações para fortalecer as mulheres e desenvolver a equidade de gênero. É uma consequência do movimento feminista e, mesmo estando interligados, são coisas diferentes. Empoderar-se é o ato de tomar poder sobre si. Dessa forma, também é possível fazer o empoderamento de outros grupos sociais, como o empoderamento negro e até empoderamento dos idosos, por exemplo. As pessoas oprimidas ou que recebem menos atenção na nossa sociedade, muitas vezes não têm consciência de seu próprio poder, e as mulheres estão incluídas neste grupo. É daí que surge o empoderamento. As mulheres precisam reconhecer que elas são capazes, para então poder começar a fazer mudanças.

Em 2010, a ONU lançou os princípios de empoderamento das mulheres, a fim de pôr em prática seus propósitos para um mundo melhor. São eles:

  1. LIDERANÇA: Estabelecer uma liderança corporativa de alto nível para a igualdade entre gêneros;
  2. IGUALDADE DE OPORTUNIDADE, INCLUSÃO E NÃO DISCRIMINAÇÃO: Tratar todos os homens e mulheres de forma justa no trabalho – respeitar e apoiar os direitos humanos e a não discriminação;
  3. SAÚDE, SEGURANÇA E FIM DA VIOLÊNCIA: Assegurar a saúde, a segurança e o bem estar de todos os trabalhadores e trabalhadoras;
  4. EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO: Promover a educação, a formação e o desenvolvimento profissional para as mulheres;
  5. DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL E PRÁTICAS DA CADEIA DE FORNECEDORES: Implementar o desenvolvimento empresarial e as práticas da cadeia de abastecimento e de marketing que empoderem as mulheres;
  6. LIDERANÇA COMUNITÁRIA E ENGAJAMENTO: Promover a igualdade através de iniciativas comunitárias e de defesa;
  7. ACOMPANHAMENTO, MEDIÇÃO E RESULTADO: Medir e publicar relatórios dos progressos para alcançar a igualdade entre gêneros.

Sete anos se passaram e esses princípios ainda precisam ser massivamente aplicados. O  empoderamento está presente em grandes ações, como por exemplo, quando empresas decidem seguir uma política interna de equidade entre gêneros e quebra de preconceitos  contra as mulheres. Mas também está no dia a dia, quando uma amiga fala para a outra “Aceite seu corpo, ele é lindo” ou “Você pode viajar sozinha sim, isso vai contribuir para a sua carreira”.

Se você for mulher, é possível aplicar o empoderamento na sua própria vida, trabalhando a  sua confiança, se fortalecendo e tendo ambição para seguir os seus sonhos. Assim que você se sentir uma mulher empoderada, você poderá encorajar amigas, parceiras e familiares a fazerem o mesmo. Assim como neste texto, em que cada pessoa que ler terá uma nova percepção sobre esse conjunto de palavras, e poderá conscientizar ainda mais mulheres. (Texto de Júlia Steuernagel Assis.)

miguel-bruna-503098-unsplash-1-1160x523

A história do Dia das Mulheres e sua relação com o empoderamento

As origens do Dia Internacional das Mulheres são variadas, mas a cronologia dessa história remete a 26 de fevereiro de 1909, em Nova York, quando um grupo de 15 mil mulheres organizou uma passeata em busca de melhores condições de trabalho.

Porém, em 1917, houve um marco ainda mais forte que determinaria o tão famoso 8 de março. Naquele dia, um grupo de operárias russas saiu às ruas para se manifestar por melhores condições de vida e de trabalho, contra a fome e contra a entrada da Russia na Primeira Guerra Mundial.

Oficializada em 1975, a data é marcada por reivindicações como igualdade salarial, igualdade de gênero e protestos sobre a violência contra a mulher e a posição da mulher perante a sociedade.

O empoderamento é uma prática necessária na sociedade como um todo. O número de mulheres no mercado de trabalho, por exemplo — seja ocupando grandes cargos em empresas, empreendendo ou investindo — é muito maior do que alguns anos atrás.

Mas, apesar desses avanços, a desigualdade entre homens e mulheres no meio corporativo e na sociedade como um todo ainda é alarmante. Como forma de amenizar e modificar essa realidade, diversas empresas estão utilizando o empoderamento feminino como estratégia em seus negócios.

O empoderamento feminino no ambiente corporativo

download

No âmbito corporativo, esse empoderamento fornece ferramentas para que a empresa desenvolva ações que gerem mudanças reais. Práticas que estimulam a igualdade de gênero e fazem com que ações de igualdade sejam incorporadas, não só nas atividades da organização, mas no mercado como um todo, contribuí para o crescimento econômico, social e político.

Em 2010, um estudo da universidade Duke – dos Estados Unidos – apontou que mulheres que ocupam cargos importantes ou de liderança são vistas como mais assertivas do que os homens. A pesquisa também apontou que as mulheres sabem ter relacionamentos profissionais mais funcionais, por saberem lidar melhor com as próprias emoções e com as dos outros.

Por isso, no ambiente corporativo a simpatia, a competência e a empatia geram muitos pontos a favor do gênero feminino. Cientistas descobriram que a capacidade empática está diretamente relacionada aos neurônios-espelho – um grupo de células fundamentais para o comportamento empático e imitativo dos seres humanos.

Eles são responsáveis pela percepção das atitudes de outras pessoas. Sentir vontade de bocejar ao ver outra pessoa fazendo o mesmo é uma das reações desses neurônios, por exemplo.

Para neurocientistas, o sistema de neurônios-espelho feminino é maior do que o dos homens e, por conta dessa característica cerebral, as mulheres possuem uma habilidade natural para ser empática.

Para ter relacionamentos profissionais mais funcionais e ocupar cargos de liderança com assertividade, ter empatia é essencial. Desenvolver a capacidade de escutar com atenção seus colaboradores é fundamental para elevar a produtividade da equipe e a satisfação dos funcionários. Por isso:

Aprenda a reconhecer suas emoções

Saber identificar como você se sente e reconhecer as emoções quando elas surgem é fundamental, pois te ajuda a entender quais são seus gatilhos emocionais e as crenças limitantes que podem impactar negativamente sua carreira.

Seja determinada

Saber tomar decisões – mesmo sob pressão – também é imprescindível para uma pessoa que ocupa um cargo de liderança. E o caminho para desenvolver essa capacidade é o autoconhecimento. Quando você entende como responde às situações externas, é possível criar ferramentas que te auxiliem nos momentos decisivos.

Fontes: sbi.com.br

impacthubcuritiba.com

movimento mulher 300

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s