Semana da Paz #2022

Caminhada da Paz

10433060_431997460330938_7192847799513490524_n hd

A Caminhada da Paz é um evento tradicional que faz parte do calendário anual da Rede Abraço Amarais.

A Iniciativa foi iniciada pelo Centro Vedruna e incorporada a Rede Abraço no decorrer dos anos. A última edição foi em 2019 e teve a participação  de cerca de 1000 pessoas. Depois veio a pandemia e a caminhada foi sendo realizada virtualmente.

Agora retornaremos com a nossa caminhada, mas desta vez com um Plus a mais, teremos a Semana da Paz de 18 a 23 de setembro, com uma programação voltada a ações pela Paz dentro das entidades e fechando com a nossa caminhada.

  • 18 de setembroDomingo – 9h20min –  Missa de Abertura na  Igreja Matriz da Paróquia São Marcos, O Evangelista presidida pelo Padre Antônio Rodrigues Alves –  (R. Adelino de Abreu, 166 – Jardim São Marcos)
  • De 19 a 22 de Setembro – Semana de ações e reflexões sobre a paz na OSC, grupos e igrejas membros da Rede Abraço Amarais, com apoio do CRAS Espaço Esperança, Intersetorial Amarais
  • Dia 23 de Setembro – Sexta-feira – Caminhada da Paz – aberta a todos – Venha de Camiseta branca (se puder) e traga uma garrafinha com água para a caminhada
  1. 8h00 – Saída do Centro Assistencial Vedruna – Rua José Segállio Filho, 126 – Jardim São Marcos
  2. 8h30min – Concentração na Associação Beneficente Campineira (ABC) – Rua Dr. Luis Aristeu Nucci, 155 – Jardim São Marcos
  3. 9h00 Chegada e Encerramento no CEU Thaís Fernanda Ribeiro – Rua Demerval da Silva Pereira s/nº – Vila Esperança

Semana da Paz

A paz é um desejo do coração humano e é indispensável para o bem estar social.

A paz não é algo que você deseja, mas algo que você constrói, algo que você faz, algo que você é, e algo que você transmite aos outros através dos seus sentimentos, dos seus relacionamentos. ( Madre Tereza) A paz é um processo no qual nos engajamos, do qual participamos e juntos construímos. A paz é fruto da justiça”. Justiça e paz se abraçaram”

(Salmo 85,10)

Diante de uma cultura de morte e violência, onde a vida está tão ameaçada a necessidade de uma cultura de paz emerge como um clamor universal. Ela não elimina oposições ou conflitos, mas pressupõe a resolução pacífica deles. Rejeitar a violência física, sexual, étnica, psicológica, de classe, das palavras e das ações é a base da cultura da paz

Somos chamados a construir uma cultura de paz pela não violência, num esforço coletivo, tentando resgatar e cultivar os valores que a sustentam como: a solidariedade, a partilha, o respeito, despertando nas crianças, adolescentes, jovens e adultos uma consciência de que não apenas necessitamos de paz, mas de que somos construtores e promotores de paz e os gestos concretos, passam pela atitude de acolhida perdão, respeito ao outro que é diferente de mim, e ás vezes quero faze-lo igual a mim. Construir a paz é partir de que somos diferentes, e desde aí, construir a comunhão.

Deus é o ultimo fundamento da paz interior e da paz social. Onde a paz social não existe, onde há injustiças, desigualdades sociais, politicas, econômicas e culturais rejeita-se a paz, rejeita-se o próprio Deus.( Mt 25,31-46)

A paz não pode ficar apenas no desejo, é necessário um aprendizado para a construção coletiva da justiça e da paz “ Se queres paz, defende a vida”.

Ir. Maria López Otero

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s